Um agradecimento necessário

O dito popular determina que “a adversidade é a mãe das possibilidades”. Esse talvez seja o retrato que cabe para Fátima do Sul depois de um ano de pandemia no mundo. E nós não escapamos do castigo. O empresário, que já não teve vida fácil nos anos anteriores a 2020, viu-se abraçado por um vírus nem um pouco amigo e, não mais que de repente, encontrou nesse abraço o avanço infeliz de tudo o que não desejava pra ninguém, muito menos pra si próprio.


Mas é preciso ir à luta e escantear uma derrota que não se aceita sob nenhuma hipótese. A ACIFAS, que ao longo dos anos sempre participou dos momentos bons e ruins do empreendedor daqui, buscando soluções as mais variadas para os seus problemas, descortina agora na adversidade uma enorme possibilidade de reconstrução dos sonhos da grande maioria dos empreendedores.


E não ficamos apenas na observação dos fatos. Vamos em busca de diálogos com quem de direito, gente que pode prestar um grande auxilio à classe empresarial e, por consequência, àqueles que no dia a dia labutam nos mais variados segmentos do comércio e da indústria para defesa da sobrevivência da família. Assim foi nossa reunião desta segunda-feira com a prefeita Ilda Salgado Machado, para tratar de vários temas que influenciam diretamente a vida do cidadão.


Abordamos o problema da pandemia, da utilização de espaço no Polo Industrial – incentivo para empresas que possam abrir mais vagas de trabalho – da implantação de um sistema que permita o avanço turístico, através da pesca esportiva. Porém, o mais importante e urgente a nosso ver é a aplicação maior da Lei de Liberdade Econômica, que veio para reduzir a burocracia e facilitar o desenvolvimento dos pequenos negócios. O empreendedor passa a ter mais autonomia para gerir sua empresa de maneira competitiva e desburocratizada. 


A Lei no. 13.874/2019, a Lei da Liberdade Econômica, é uma conquista de todo dono de negócio. Com ela foram estabelecidas normas claras na redução da burocracia para pessoas jurídicas, visando garantir o livre exercício da atividade econômica e o fomento da economia brasileira. A prefeita, que nos recepcionou com extrema simpatia, absorveu com muita atenção nossa exposição de motivos e comprometeu-se a adotar providencias para ampliar o campo de ação de atendimento ao empresariado.


Nos sentimos satisfeitos com esta primeira tentativa de avanço. Com a boa vontade demonstrada pelo Poder Público Municipal, com quem voltaremos a ter novos encontros produtivos, julgamos que conseguiremos facilitar a vida do empreendedor e do cidadão de Fátima do Sul e, particularmente,dos que estão associados conosco. São 1.783 CNPJ registrados atualmente no município. Número mais que suficiente para que busquemos a facilitação da vida de cada um. Nossa obrigação. Nosso dever. Nossa vontade. Com Deus no comando. Obrigado, dona Ilda, pelo apoio.


ROGÉRIO RUFINO

Presidente